Como tudo começou

Me chamo Leonard Ribeiro Jacinto, mas sou conhecido no Parkour e na Vida como "Akira". Sou portador da Sindrome de Asperger que faz parte do TEA (Trantorno de Espectro Autista), Sindrome de Tourette e Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Decidi como forma de tratamento montar um diário no Youtube onde falo sobre meus problemas, descobertas e truques para lidar com estas condições.

Espero que goste do meu projeto e me desculpe pelos palavrões e pela sinceridade.


Canal do Youtube Vida no Instagram

O que me Motiva a seguir

Amar o que faz

Sou um Geek que dá Aulas de Parkour e que ama Pilotar Drones e sem nem perceber me tornei um Youtuber. Sempre quis trabalhar com algo bacana e hoje faço isso.

Saiba mais

Fazer bem

Como trabalho com o que gosto sempre me empenho em tudo o que faço. Estes é um dos maiores motivos que me mantem sempre feliz e animado em meus projetos.

Saiba mais

A Internet

Vi esta bagaça surgir. Sério! Eu vi a internet dominar todas as casas, e por este motivo decidi trabalhar sempre pela Internet em meus sites e no Youtube.

Saiba mais

Meu lado Geek

Estou sempre trabalhando, lendo e estudando tudo sobre o mundo Geek. Então não se assuste em ver eu falar sobre cinema, tecnologia, games e meu cotidiano.

Saiba mais

Melhores Postagens

Ordem Correta para assistir Star Wars: The Clone Wars




A série Star Wars: The Clone Wars adicionou conteúdo ao Universo Star Wars de forma nunca antes vista. A famosa e apaixonante série animada levou-nos a novos e estranhos mundos, explorou personagens clássicos, apresentou-nos novos heróis e, claro, novos vilões.

Agora que a série está disponível na plataforma Netflix, apresentamos uma cronologia oficial da ordem pela qual devem ver os 121 episódios da série, assim como o filme que começou tudo.

Preparem-se para ficarem um bom tempo acordado.

Importante:  para entender a numeração dos episódios, o primeiro número é a temporada e os dois seguintes é o número do episódio naquela temporada.
Por exemplo, onde estiver s03 e02, deve-se interpretar como temporada 3, episódio 02.



Ordem Correta para assistir The Clone Wars

s02 e16
s01 e16
Filme
s03 e01
s03 e03
s01 e01-15 (15 episódios)
s01 e17-21 (5 episódios)
s02 e01-03 (3 episódios)
s02 e17-19 (3 episódios)
s02 e04-14 (11 episódios)
s02 e20-22 (3 episódios)
s03 e05-07 (3 episódios)
s03 e02
s03 e04
s03 e08
s01 e22
s03 e09-11 (3 episódios)
s02 e15
s03 e12-22 (11 episódios)
s04 e01-22 (22 episódios)
s05 e02-13 (12 episódios)
s05 e01
s05 e14-20 (7 episódios)
s06 e01-13 (13 episódios)



ATUALIZAÇÃO
Para quem quiser ver a ordem cronológica dos episódios de algum personagem específico, a Leland Chee está postando no twitter dela a seguinte ordem:

Importante: para entender a numeração dos episódios, o primeiro número é a temporada e os dois seguintes é o número do episódio naquela temporada. Por exemplo, onde estiver 216, devem interpretar como temporada 2, episódio 16.


Anakin, Ahsoka e Obi-Wan

216 116 Filme 301 303 101-115 117-121 201-203 217-219 204-214 220-222 305-307 302 304 308 122 309-311 215 312-322 S4 502-513 501 514-520 601-613


Darth Maul
314 421 422 501 514 515 516


Asajj Ventress
116 F 101 302 109 312-314 419-422 519-520


Fives
301 105 302 318-320 407-410 601-604


Boba Fett
220-222 415 420


Greedo
304


Qui-Gon
315 317 611 612


Yoda
101 610-613


Bail Organa
216 303 307 122 311 215


Jabba the Hutt
F 308 309 514


Padmé Amidala
F 104 404 108 111 117-118 219 204 214 305 307 304 308 122 310 311 215 401-404 414 520 605-607


Cad Bane
201-203 308 122 309 415-418


Hondo Ohnaka
111-112 217 222 505 507-509 501


Pre Vizsla
212-214 414 514-515


Mother Talzin
312-314 419 421-422 609


Ziro the Hutt
F 307 122 309






Fonte: CloneTV

Como a falta de Sono atrapalha sua Vida



Em 1959, Peter Tripp, um popular DJ de Nova York, prometeu ficar acordado por 200 horas por caridade enquanto continuava como âncora em seu programa de rádio.

Estudos sobre privação de sono eram raros na época e ninguém sabia o que esperar. Isso fez do evento algo grandioso, não somente por conta dos milhões de ouvintes de Tripp, mas também pela comunidade científica.

Os impactos da maratona na mente de Tripp foram mais dramáticos do que qualquer um poderia esperar. A personalidade dele era normalmente descrita como alegre e para cima, mas mudou significativamente no decorrer das horas. No terceiro dia, ele estava muito irritável, xingando e insultando até seus amigos mais próximos. Ao caminhar em direção ao fim de sua maratona, ele começou a alucinar e exibir comportamentos paranoicos.
Apesar das preocupações dos médicos que monitoravam Tripp (e da ajuda de estimulantes), ele persistiu e finalmente foi para a cama após 201 horas seguidas sem dormir.

Laboratórios modernos replicaram alguns dos comportamentos vistos em Tripp como consequência da falta da perda de sono. Privação de horas de sono ou períodos prolongados de restrição de sono resultam em aumento de irritabilidade, mau humor e sentimentos de depressão, raiva e ansiedade. Alguns argumentam que a perda de sono leva a reações emocionais intensificadas.
Cansado e emocional

De forma similar a Tripp, que destratou seu amigo por conta de um minúsculo inconveniente, a privação de sono em participantes de um estudo mostrou aumento de estresse e raiva entre indivíduos que não haviam dormido quando precisaram completar um simples teste cognitivo.

Imagens cerebrais revelam por que privação de sono pode levar à irritação. A amígdala, uma área no nosso cérebro, é nosso centro de controle emocional. Quando participantes com privação de sono são expostos a imagens com conteúdo negativo, os níveis de atividade da amígdala foram 60% mais altos do que os níveis de pessoas descansadas.

Pesquisadores também analisaram quão diferentemente conectadas as áreas do cérebro desses participantes estavam. Eles descobriram que a privação de sono tinha destruído a conexão entre amígdala e o córtex pré-frontal.

Essa foi uma descoberta crítica já que o córtex pré-frontal regula o funcionamento da amígdala. A privação de sono parece ser a causa pela qual a amígdala reage negativamente porque se torna desconectada de áreas cerebrais que normalmente regulam seu funcionamento.
Acordadão em Las Vegas

Donos de cassinos sabem há anos que apostadores cansados tomam decisões arriscadas. Luzes claras, barulho e a falta de janelas fazem com que você não note a passagem do tempo dentro de um cassino.

Em 2011, pesquisadores da Universidade Duke pediram a participantes de um experimento que aumentassem suas apostas. Eles podiam escolher fazer isso diminuindo a quantidade possível do maior ganho, diminuindo o tamanho de uma possível perda ou aumentando a probabilidade de vencer.

Quando participantes foram privados de sono por apenas uma noite, eles começaram a tomar menos decisões que evitassem perdas e mais decisões que maximizavam ganhos potenciais. Em outras palavras, a privação de sono tornou suas apostas mais arriscadas e mais otimistas. A mudança na aceitação do risco era acompanhada por mudanças na atividade cerebral nas áreas que analisam resultados positivos e negativos.
Dormindo para aprender

Outra área do cérebro que sofre dramaticamente por conta da falta de sono é o hipocampo. Essa região é crítica para armazenar novas memórias. Quando pessoas são privadas de sono por uma noite, a habilidade de memorizar novas informações cai significativamente.

Um estudo demonstrou que a privação de sono causa diminuição do tamanho do hipocampo. Ao memorizar uma série de fotos, participantes que não haviam dormido mostraram menor ativação do hipocampo se comparados com outros que estavam descansados. Essa deficiência do hipocampo poderia ser causada pela redução de habilidade de escrever novas informações causada pela falta de sono.

O hipocampo pode precisar de sono para mover novas informações para que sejam armazenadas em outras áreas do cérebro. Nesse caso, a falta de sono pode encher o “espaço” disponível no hipocampo para armazenar informações, impedindo que novas memórias sejam guardadas.
Lições da maratona sem dormir

A história de Tripp tem um final infeliz. Logo após sua maratona sem dormir, seu casamento chegou ao fim e ele perdeu seu trabalho e sua carreira no rádio. Em 1964, seu recorde foi quebrado por Randy Gardner, um estudante de San Diego, que ficou acordado por 264 horas.

Os problemas posteriores de Tripp, no entanto, dificilmente têm conexão com sua falta de sono. Gardner e outros que posteriormente tentaram quebrar seu recorde não sofreram danos de longo prazo. Apesar disso, ficam lições da experiência de Tripp e das últimas descobertas na ciência do sono.

Muitas pessoas não estão dormindo o suficiente já que sacrificam seu tempo para trabalhar, especialmente em dispositivos eletrônicos que emitem luz azul. Essa iluminação faz com que cair no sono seja mais difícil, diminuindo a quantidade de tempo que dormimos e também a qualidade do sono.

Precisamos redescobrir o valor do sono e apreciar os benefícios que ele traz para o cérebro. O tempo que passamos dormindo é um investimento essencial para sermos mais inteligentes, tomarmos decisões melhores e para que tenhamos uma vida mais feliz. Então vá dormir um pouquinho.

Este texto foi publicado originalmente no site The Conversation.

Fonte: http://exame.abril.com.br/

Ordem correta para se assistir STAR WARS


Dica:  A imagem acima pode ser usada como Wallpaper.  


Uma das maiores duvidas de quem esta entrando agora na Trilogia Star Wars ou quem esta querendo rever a Saga é a ordem correta para ver os filmes.

Então embaixo deixo de forma clara e simples as duas formas de você assistir a STAR WARS.


A trilogia de Star Wars composta pelos Episódios I, II e III, lançada entre 1999 e 2005, está longe de ser unanimidade entre os fãs da saga. De qualquer maneira, são filmes que fazem parte da história apresentada ao mundo entre os anos 70 e 80, para o bem ou para o mal.

Como não quero dar spoilers para quem jamais assistiu aos filmes, vou começar simplesmente listando as ordens propostas. Em seguida explicarei um pouco dos motivos para essas escolhas.

Mas esse guia também vale para quem, como eu, já assistiu incontáveis vezes a todos os filmes.

ORDENS DOS FILMES

As maneiras mais tradicionais de se assistir aos filmes são: pela ordem de lançamento ou pela ordem cronológica. As duas possuem problemas graves, mas há duas outras ordens pensadas por fãs para se assistir aos filmes sem se perder na historia. Se quiser saber a Ordem correta para assistir The Clone Wars, clique aqui.




A primeira é a ordem conhecida como Ernst Rister. A sequência que deve ser seguida é Episódios:

 IV, V, I, II, III - Han Solo - Rogue One e VI 




A segunda é conhecida como Ordem Machete. Nela, a sequência que deve ser seguida é Episódios:

 IV, V, II, III - Han Solo - Rogue One e VI




Sim, é exatamente isso. O Episódio I é totalmente ignorado nessa ordem.

Te indico que assista na ordem Ernst Rister pois foi a ordem que melhor entendi a Historia.  

Para quem já conhece os filmes e não tem problema com spoilers, vamos a algumas explicações de por que essas ordens funcionam melhor do que as ordens oficiais.




Porque escolher uma destas Ordens


O maior problema de assistir aos filmes na ordem cronológica, do Episódio I ao Episódio VI, é que acaba com a surpresa de que Darth Vader é pai de Luke Skywalker.

Se você acha que isso não faz mal por essa informação já ser de conhecimento comum, veja a reação dessas crianças ao acompanharem essa revelação em “O Império Contra-Ataca”:



A ordem Ernst Rister soluciona esses problemas.


Ou seja: a pessoa vê os Eps. IV e V, descobre que Luke é filho de Darth, e fica assim: “Como assim, ele é filho do cara?! Mas como?”
darth-vader-luke


Aí, assiste aos Eps. I, II e III, que explicam tudo, desde a infância de Vader, etc. Tudo explicado, o espectador migra então para o Ep. VI, que dá continuidade a tudo que ficou em suspense no final do Ep. V.

Assim, além de preservar a surpresa da paternidade e logo depois explicá-la, através de um “flashback gigante” (Eps. I, II, III), essa ordem ainda mantém o suspense sobre o destino dos heróis, que ao final do Ep. V estão em desgraça (Luke perdeu a mão, Han Solo está sequestrado e congelado, etc.)


SEM O EPISÓDIO I


A Ordem Machete, com Episódios IV, V, II, III e VI, vai além e radicaliza um pouco mais, cortando totalmente o Episódio I. 

Isso mesmo, essa ordem DESCARTA o Ep. I. Não é preciso vê-lo. 
Justificativa: além do 1 ser o Ep. mais insosso de toda a saga, ele é descartável porque a maioria dos personagens morre no final. Logo, não há ligação com o resto da história.
gyl6BCO


Outras “vantagens” de ignorar o 1: desaparece o detestável personagem Jar Jar Binks, desaparece o chato garotinho Anakin / Vader infantil, e vão pro lixo as cenas confusas sobre os bastidores do poder no império.

Ainda, essa ordem valoriza o Ep. 6, O Retorno de Jedi, pois como o Ep. 3 termina com Vader assumindo de vez o lado negro, e o Ep. 6 começa com Luke surgindo todo vestido de negro, incluindo capa, surge o suspense de que ele pode ter passado para o lado negro da força. Ao descobrirmos, na batalha na corte de Jabba, que Luke ainda está “do bem”, a surpresa fortalece a já brilhante sequência de abertura do filme.

star-wars-episode-vi-return-of-the-jedi-20100812043313448


Para os defensores desta ordem, o Ep. 1 fica sendo uma espécie de “spinoff”, um “saiba um pouco mais” – pode ser visto ou não, não faz diferença.

Bom, depois dessa conferência, se você quer apresentar a saga para alguém que nunca a viu, ou se você quer brincar de “novo no ramo”, escolha uma dessas maneiras e boa viagem. 


Um grande abraço e que a Força esteja com você!




Este texto foi baseado nas postagens dos seguintes sites:

http://virgula.uol.com.br/
http://nerdgeekfeelings.com/
http://www.fazendonerdice.com/
https://saladeprojecao.wordpress.com/
http://mundo-geek1.blogspot.com.br
http://espacostarwarsguerranasestrelas.blogspot.com.br/



Eu na Disney - STAR WARS EXPERIENCE

Fotos Históricas que foram Coloridas Digitalmente

Uma das coisas interessantes do reddit – site de compartilhamentos de links e conteúdos – são os chamados “subreddits” que são comunidades formadas por algumas pessoas que compartilham da mesma paixão!

Uns dos grupos mais chamativos e legais é o Colorizedhistory, em que amadores e designers profissionais trocam experiências sobre o universo preto e branco, revivendo através das cores.

Podemos considera-los verdadeiros artistas digitais. Com um olhar mega apurado , misturando diversas técnicas, conseguindo realizar trabalhos surpreendentes. Abaixo você vai ver o antes e o depois de cada foto, podendo notar o trabalho bem feito, que até parecem fotografias tiradas atualmente, com câmera colorida!


ELIZABETH TAYLOR – 1956






WALT WHITMAN – 1887








OSCAR II O REI DA SUÉCIA E NORUEGA – 1880





GAROTO EM ÁREA POBRE DE BALTIMORE (EUA) – 1938






W.H. MURPHY E SEU SÓCIO  - 1923

Demonstração do primeiro colete a prova de balas. 


 



JOSEPH GOEBBELS OLHANDO COM OLHAR DE RAIVA -1933

Após saber que o Fotografo Alfred Eisenstaedt era um Judeu. 






FOTO MOSTRANDO A REGIÃO NORTE-AMERICANA – 1939



 

ALBERT EINSTEIN 1939






BIG JAY MCNEELY – 1953









LENHADOR COM SUA ESPOSA – 1939






GAROTINHO ABANDONADO E SEU URSINHO DE PELÚCIA – 1945






HINDENBURG – 1937





ARQUEIROS JAPONESES – 1860




Muito legal o trabalho deles, não é?




04 Dicas para melhorar sua Concentração


Do excesso de informações ao design dos escritórios, a rotina profissional está cheia de obstáculos para a concentração.

É injusto culpar apenas a tecnologia, o bode expiatório mais comum para justificar a distração. Usados com bom senso, recursos como apps e softwares podem ser grandes aliados para a produtividade.

O problema está no mau uso desses dispositivos, de acordo com Carla Tieppo, professora adjunta da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

A neurocientista afirma que as pessoas desenvolveram uma relação de dependência com a tecnologia. "É prazeroso checar as redes sociais ou trocar mensagens pessoais pelo smartphone", diz ela. "Para muita gente, esse hábito se tornou irresistível, como um vício".

As distrações, no entanto, causam um enorme prejuízo de tempo e energia. A cada interrupção, demoramos cerca de 23 minutos para voltar à nossa tarefa original, segundo uma especialista ouvida pelo Wall Street Journal.

Como então manter o foco? Não há solução mágica. Segundo Carla, as distrações só são vencidas pelo esforço e pela autodisciplina. “É preciso se policiar diariamente”, afirma ela.

Mesmo assim, a neurociência traz algumas orientações fáceis de implementar que podem ajudar os mais dispersos. Confira a seguir:

1. Divida sua jornada de trabalho em fatias

Segundo Carla, o cérebro humano consegue se fixar num único objeto durante 50 ou 60 minutos. Depois desse período, a atenção inevitavelmente se esvai.

A dica é trabalhar ininterruptamente durante esse bloco temporal, e então fazer um intervalo de cinco a 10 minutos para checar mensagens do celular, acessar redes sociais ou levantar para tomar um café.

“A pausa ajuda a descansar as áreas ativas no cérebro até então”, explica a professora. Após esse breve período de relaxamento, você estará pronto para outra sessão de trabalho.

2. Mantenha-se bem alimentado durante todo o dia

Trabalhar em jejum não é uma boa ideia para quem busca concentração. Isso porque o sitema atencional requer uma grande quantidade de energia, segundo a neurocientista.

Durante a jornada de trabalho, é aconselhável ter sempre algo no estômago: tanto para que haja força suficiente no organismo para manter o foco, quanto para que o cérebro não se distraia com a fome.

Não é necessário ingerir grandes quantidades de alimento. Segundo Carla, basta uma barrinha de cereais ou um suco entre as principais refeições do dia.

3. Ouça música (que você já conheça)

Fones de ouvido podem ser um recurso excelente para manter o foco. Além de reduzir o ruído ambiente, ouvir música pode trazer bem-estar.“Não é bom escolher um repertório ‘deprê’, o ideal é que ele seja leve e prazeroso”, diz Carla.

É importante que você não se envolva demais com a trilha sonora, apenas relaxe com ela. Por isso, a neurocientista recomenda escolher um repertório que você já conhece. Uma música nova exige mais atenção do cérebro, até para ele decidir se gosta dela ou não, por exemplo.

Uma sugestão é montar playlists com duração de 50 a 60 minutos, já que esse é o tempo máximo em que conseguimos prestar atenção ininterrupta. “Quando a música acabar, você já saberá que é hora de fazer a pausa”, diz ela.

4. Elimine a bagunça e o desconforto

De acordo com Carla, mesas de trabalho caóticas são “horríveis para o cérebro”. Isso porque o sistema nervoso tende a se espelhar no ambiente externo. “Se não há lógica do lado de fora, fica difícil se organizar internamente”, afirma.

É verdade que o caos pode ser um grande aliado na busca por criatividade e inovação. Mas, se o seu objetivo é terminar uma tarefa, é melhor manter a sua escrivaninha limpa e organizada.


A falta de cuidado com a ergonomia também pode gerar distrações. “A sua postura de trabalho deve ser correta e confortável, para que o seu cérebro não se concentre mais no cansaço do corpo do que no trabalho”, recomenda a professora.

7 dicas para enfrentar o dia depois de dormir Mal

(FOTO: FLICKR/CREATIVE COMMONS)

Você dormiu mal a noite passada. Ou não dormiu. Mesmo assim, tem um dia importante pela frente - uma prova, uma reunião no trabalho - e precisa estar "inteiro" para aguentar as atividades. Apesar de especialistas alertarem que não há como substituir as horas de sono perdidas, há maneiras de amenizar os seus efeitos adversos.


Separamos algumas dicas, reunidas pelo pessoal da NyMag. Confira:


Não aperte o botão soneca - aqueles 10 minutos extras de sono podem parecer maravilhosos na hora, mas esses cochilos não te ajudam a descansar mais, nem a te deixar mais alerta na hora de acordar. A dica do especialista em sono de Harvard, Orfeu Buxton, é colocar o despertador para o último minuto possível, quando você absolutamente precisa sair da cama. Dessa forma, você tem mais tempo de sono restaurador.


Não pule o café da manhã - faça sua primeira refeição até uma hora depois de acordar. Estudos mostram que isso estimula sua performance cognitiva. E, apesar da vontade de comer um doce, muitos carboidratos e açúcar não são uma boa escolha: tudo o que causa um pico de açúcar ou insulina pode te deixar com mais sono depois. De acordo com Buxton, o açúcar é como um botão de soneca - vai te ajudar por alguns minutos e, depois, você terá que lidar com as consequências.


Tome um pouco de cafeína - de acordo com especialistas, a dose ideal é 400 miligramas de cafeína por dia. Uma xícara de café tem cerca de 100 miligramas. Distribua suas xícaras de café por seu dia.


Dê uma volta - a luz do dia pode te ajudar a se sentir mais alerta, de acordo com Sean Drummond, psiquiatra da Universidade de Califórnia em San Diego. Para isso, o ideal não é usar óculos escuros. Se você puder, faça uma caminhada a um ritmo mais acelerado ou corra um pouco.


Tarefas difíceis primeiro - deixe a procrastinação de lado. Se você precisa trabalhar em algo difícil, encare essa tarefa como uma prioridade e inicie seus trabalhos assim que possível. E isso tem uma explicação simples - como você não dormiu bem, a tendência é que você fique ainda mais cansado durante o dia. Então você estará mais alerta/disposto logo nas primeiras horas de trabalho.


No almoço, escolha alimentos leves - grãos integrais, vegetais, proteína magra. Todo mundo fica com mais sono depois do almoço e uma refeição pesada só vai potencializar o seu cansaço.


Durante a tarde, cumpra tarefas 'braçais' - por mais que você trabalhe em um escritório. Organize seus arquivos, responda a todos os e-mails, limpe a mesa. Como você já fez o trabalho mais difícil pela manhã, agora é a hora de fazer tarefas mecânicas, que não demandem muito esforço cognitivo.


Via http://revistagalileu.globo.com/

Leonard "Akira"
Quem Sou

Entre em Contato



Fale comigo utilizando o Formulário ao lado.

São Paulo Capital

Para Palestras e Eventos, consigo viajar se necessário.

Horário de atendimento:

Das 10:00 as 22:00 horas.

Telefone | SMS | WhatsApp

(+55 11) 98140-0942